Olha, um post com jogos indie!

22 fevereiro 2010

Conversando com o pessoal nos comentários dos últimos posts, percebi que a aceitação dos jogos indie vem aumentando. De “mimimi eles têm preguiça de fazer jogo bem-feito e querem destruir o mercado” e “aiai, arte arte arte, jogo não é arte, jogo é dar uns tiro”, a opinião pública parece ter passado para o consenso de que jogos independentes são uma indústria paralela à mainstream, uma espécie de linha do tempo alternativa em que os jogos continuam sendo feitos com poucas pessoas e tecnologia de anos atrás, não sendo necessário gastar milhões para desenvolvê-los e portanto abrindo a possibilidade de se explorar mecânicas absurdas (Today I Die), criar pequenas piadas jogáveis (You Have To Burn The Rope), tentar fazer arte com algoritmos e sprites (Passage), ou simplesmente dar vida a um conceito que poderia muito bem ter virado jogo em 1985, o que não aconteceu porque um garoto promissor resolveu desistir de seus sonhos e virar engenheiro civil, e o conceito ficou na Gaveta da Evolução Humana por 25 anos até outro rapaz sem muito a perder resolver ganhar a vida fazendo jogos e acordar com uma ideia brilhante para um jogo (VVVVVV).

Sendo assim, é possível que você comece a ver mais posts sobre a cena indie aqui no No Controle – se alguém se opõe, por favor manifeste-se nos comentários, sua opinião será muito bem-vinda. Por enquanto, comecemos com um post simples e direto: recomendações de alguns joguinhos engraçados para terminar em 15 minutos e lavar a alma depois de 100 horas de Mass Effect 2. Pode ser que você já conheça todos – se esse for o caso, no próximo recomendo alguns indie games mais artísticos, tocantes e o diabo – aceito sugestões.

Leia mais

Anúncios

Variedade, um trunfo gamer

10 fevereiro 2010

Em um post do mês passado sobre Heavy Rain, comparei videogames com filmes e disse que nosso passatempo favorito ainda era uma criança perto da maturidade de outras mídias, que podem ser trabalhadas em cima de praticamente qualquer coisa, enquanto os games continuam a apresentar as mesmas mecânicas e os mesmos tipos de história de novo e de novo.

Agora eu preciso dar o braço a torcer e falar de algo que eu considero uma enorme vantagem dos jogos: variedade. Variedade sem medo de criar situações esdrúxulas. Variedade utilizada de forma a você, em uma mesma tela, espancar uma prostituta punk, um palhaço com facas, um ninja gay e um índio com correntes. E então eles caem indefesos, um “GO!!!” verde aparece sinalizando seu progresso na fase, você avança e descobre que precisa enfrentar lutadores de sumô gêmeos com miniguns.

GO!!!


Criança esperança e minha própria concept art

1 fevereiro 2010

No último post, que bateu o recorde da categoria “meus leitores são miserentos e não querem comentar”, fiz algumas tentativas de previsão para o próximo Zelda de Wii, a ser apresentado na E3 desse ano. Baseado em mudanças na franquia, como a inclusão de barcos, trens a vapor, botas eletromagnéticas e reinos de escuridão high-tech, passei a pensar que o próximo game da série pode ser o temido “Zelda do futuro” do qual se fala desde 1º de abril de algum ano aí pra trás. Pesquisando um pouco sobre a cronologia dos jogos e coisas sobre o próximo lançamento, achei isso aqui:

Em uma entrevista do Guardian com Eiji Aonuma, ele revela que pode haver a habilidade de Link voar de alguma forma.  Aonuma diz que ele contou ao seu filho de oito anos que, no próximo Zelda, Link teria um trem. Seu filho respondeu: “OK papai, primeiro barco, agora trem? Certeza que na próxima vez Link vai voar no céu…” Eiji Aonuma faz uma pausa, sorrindo. Ele diz: “Sei lá. Se muitas pessoas fizerem muitas especulações… algumas delas podem estar corretas. Por enquanto, eu tenho que me abster de comentar qualquer coisa”.

Ou seja, em uma frase de criança esperta o menino chegou à conclusão que eu levei 10 parágrafos pra desenvolver. Ah, os japoneses.


Joguei o PS3…(E Primeiro Contato de Folklore)

16 setembro 2007

…e não é que é bom?

Pois é, joguei esses dias, depois do almoço, lá na loja Only Games, aqui de Curitiba. 🙂

Vou ser sincero: fui pra jogar uma partida marota de Wii Tennis com um amigo, mas cheguei lá e o Wiimote tava sem bateria, então pedi pra jogar o que tava ligado, ou seja, a ovelha negra da nova geração. O game que tava ali ligado era Ninja Gaiden Sigma, a demo, só que todo mundo diz que os novos Ninja Gaiden mantiveram a dificuldade monstruosa dos antigos, então fui mudar. Apertei a bolinha do centro, aquela com o símbolo do PlayStation, e apareceu um menuzinho. Fuçando um pouco e com a ajuda do moço da loja, consegui chegar nos demos, e procurei um game qualquer, escolhi “Folklore”, jogueta de ação que ainda não lançou versão full. Deixemos o game de lado, já falo dele, antes falemos do console em si. Ele é grande. Mas naquelas, GRANDE. O Meu PS2 fica em baixo da base do PC, tem um vão entre a base do monitor e a mesa em si, o PS2 cabe certinho e sobra espaço o suficiente pra abrir bastante, o GameCube podia ficar ali também, mas ele é xodó e fica ao lado do monitor, agora o PS3…não cabe. Ele é MONSTRUOSAMENTE grande, pegue sua TV de 21 polegadas e corte ela ao meio, pronto, eis o tamanho de um PS3. Eu já tinha visto antes, mas nunca de perto, nunca tinha tocado e deixado a marca marota dos meus dedos sujos de molho e sal no plástico brilhante, e o console é surpreendentemente grande, mas é LINDO. O Wii é simples, clean, o 360 é estilosão, as luzes são bonitas (só são feias quando são vermelhas =/), mas o PS3 é FODA. Cês sabem como ele é, pretão, brilhante, e imponente, bastante imponente. Ele fica lá, com a luzinha verde discreta ligadinha, com os detalhes em prata, silencioso até (considere aqui que fora da loja tinha um shopping barulhento, mas mesmo assim dava pra ouvir bem na loja, um peidinho sacana era, provavelmente, uma péssima idéia), por fim, bem bonitão MESMO.

Não sei se esquentou na meia horinha que joguei, por que não toquei nele depois de ir embora, mas naquelas, não cheguei a tirar a blusa por causa do calor que tava. Aliás, aproveitando a deixa, acho uma puta frescura esse negócio de esquentar, é só saber cuidar. 360 é exceção, mas por enquanto :). Falemos do Joystick agora! O tal do “Sixaxis”. A primeira coisa que devo ressaltar sobre o controle é a leveza. O joystick é de fato MUITO leve. Mas LEVÍSSIMO, é até estranho jogar, você não sente aquele peso costumeiro do DualShock ou do JoyStick de GameCube, ainda mais eu que tou acostumado a jogar o DS pra lá e pra cá, tô bem acostumado a sentir um pesinho jogando, e o fato da leveza – apesar de ser um bom fator se formos considerar que o cara que comprar vai se acostumar – é um tanto desconfortável no início. O preço dessa leveza foi caro: a vibração no joystick. Sinceramente, rumble faz uma faltazinha sim, mas poxa…não é nem de perto a alma do game – é só um relevante. É como comprar um pacote de salgadinho e escolher um outro que vem com tazo, capisco? Eu sinceramente parabenizo a Sony por ter escolhido colocar o sensor – por mais porco que seja – do que ter comprometido o sensor ruim só pra por rumble. E eis o último ponto a falar do JoyStick: O sensor. Não dá pra negar que qualquer peão que leu sobre o PS3 na internet e nunca tinha jogado o console pensa que o sensor do PS3 é tão bom quanto Virtual Boy, mas não, o sensor é divertidinho. Talvez isso seja exclusividade do game que eu joguei, mas o sensor faz a sua parte, responde bem, não é tosco e mal-feito, enfim, cumpre a proposta do sensor do Sixaxis: ser apenas um diferencial nos games, e não o foco dos mesmo – coisa que, graças à Deus e a Miyamoto, acontece no Wii. Falando em Wii, o sensor é realmente MUITO pior que o do Wii, mas os motivos já foram citados acima. 🙂

Último quesito que acho que interessa do PS3: Gráficos. Ok, os Sonystas que me perdoem, os games são LINDOS, mas (pelo menos por hora) não é nada que o Xbox 360 não faça. Meu queixo caiu MUITO MAIS com o Gears of War do que com Folklore, tá certo que GoW é o carro-chefe do 360 e o Folklore é apenas um game relativamente aleatório, mas mesmo assim. Engana-se quem diz que é feio, porra, o game é espetacular. Eu ficava procurando texturinhas feias, serrilhados, achei nada! O personagem se move de maneira leve, parece um filminho de CG mesmo, e os efeitos são de impressionar, destaque pras explosões que rolam. Bonito mesmo, admito que em longa data gráficos mais elaborados poderão fazer falta pro Wii, até mesmo pro 360 se o PS3 cumprir o que prometeu, mas naquelas, jogos não são só gráficos. Ponto pro PS3, mas nada relevante 🙂

Pra concluir sobre o console, GOSTEI! PS3 subiu pra caramba no conceito, deu vontade de comprar se for pensar que o console terá Final Fantasy XIII e Metal Gear Solid, e até cogitarei sério a possibilidade daqui uns dois anos. Podem tacar quantas pedras quiserem, mas o PS3 é um excelente console!

Primeiro contatozinho do Folklore:

Plataforma: PlayStation 3
Lançamento: 12 de Outubro/2007
Não neguemos que a lista de jogos do PS3 é BEM escassa – e quase tudo de bom que tem pra ele, tem pra 360 também. Mas isso não é motivo de desânimo e tal, até porque só precisamos lembrar que logo o console terá Final Fantasy XIII e Metal Gear Solid 4 EXCLUSIVOS pra ele. Mas acontece que, aos poucos, bons games vão chegando. É aí que se encaixa Folklore.

Basicamente, o game é um jogo de ação. Tiros pra lá, golpes pra cá, e uma trama qualquer que faça você decidir controlar o personagem. Este, um homem, é A CARA do Otacon, de MGS, e com um sobretudo de couro marrom que vai até a metade das canelas, como todo bom pistoleiro. Acontece que o game é bom. Bom pra caramba! Apesar de ter jogado apenas a demo que tá disponível pra download na LIVE da Sony, deu pra sacar o qual é a do jogo. Como dito antes, o game é de ação. Mais precisamente falando é um Devil May Cry sem os combos. Tá claro que o objetivo do jogo não é fazer você pensar, resolver puzzles, ler atentamente o que tá escrito, é porradaria pura e simples. O personagem absorve umas almas, e usa elas para incrementar uns espíritos que andam com ele e atacam para protegê-lo – ou algo assim, que foi o que deu pra entender apertando X freneticamente pra pular as cutscenes. Graças a isso, temos uma variada quantia de golpes. Um canhão, tiros, golpes com espadas, mais tiros, e inimigos. Muitos inimigos. Eis o primeiro problema do game: os inimigos. Sabe quando sempre tem mais do mesmo? Então. É o que acontece aqui, sempre as MESMAS coisas. Uns robôs que atacam com lanças giratórias e tal. Mas enfim, eles morrerão de qualquer jeito. Outro problema é um que não atrapalha muito, e até já apareceu em Resident Evil 4 – a quase monocromática escolha de cores. É SÓ amarelo e marrom. Só. A demo praticamente INTEIRA. Espero que isso seja apenas uma das fases do game, se não o jogo poderá ser tranquilamente taxado de “Devil May Cry + Resident Evil 4″. E tenho dito. E quanto ao uso do sensor? Bom, nesse game funciona assim: Cada vez que tu mata um monstro, a alma dele fica pairando até você sugá-la – se não o fizer, o monstro revive. Como absorver? Simples, segura o R1 e puxe para trás o joystick, num solavanco rápido, para que o personagem puxe a alma do monstro para seu…”armazenador de almas”. Nos chefes funciona um pouco diferente: a alma parece estar presa com mais apego ao seu corpo, então você tem que ficar puxando o controle de um lado para outro até enxer a barra, fazendo aquele símbolo de infinito com o controle, o 8 deitado.

Até contar procês um fato interessante: Fui com dois amigos lá jogar, e um desses amigos tem fama de não ter NENHUMA vergonha. O cara anda na rua gritando – é italiano, daí já viu -, fala de putaria na frente de desconhecidos como se fosse normal, e pra agravar: acha que é amigo de todo mundo. Isso faz com que o cara seja altamente exagerado. Então tava eu, jogando na minha vez, quando chega um chefe, eu mato ele, e começo a puxar a alma. Acontece que eu não consigo à tempo, pois controlei os movimentos pra não ficar ridículo e o bixo voltou, me atirou ou sei lá o que caralhos fez, e eu morri. Daí, quase que involuntariamente, o amigo começa a gritar “DEIXA EU, EU AGORA, VAI PIÁ, DEIXA, OW, EU AGORA, DEIXA?”, claro que deixei né, vai que ele resolve comer minha orelha – ou algo pior, ESSES ITALIANOS -, e daí ele começou a se divertir. Primeiro que ele soltava um “HÃÃÃÔ de risadona satisfeita a cada monstro morto. Daí chegou o chefão.

Pooobre chefão.

O piá se transformou. Aquele gritalhão torto virou um cabra macho. Começou a atirar no chefe. Ia demorar pra matar até, então virei pra ver uma cutscene de Zelda que tava passando em outra TV. Nisso, ele mata o chefe e começa a sugar a alma do chefe. Do pobre chefe. O cara tava quase voando. Os movimentos que eu fazia só com os pulsos ele passou pros ombros, esticando o máximo que podia os braços, pros lados, e fazendo um oitão deitado gigante. O atendente ficou com cara de despespero, eu e o outro amigo fingimos que não conhecíamos (o que não adiantou, já que ele insistia em gritar “OLHA, OLHA COMO FAZ PIÁ, PRESTA ATENÇÃO!”. E claaaro que eu ia conseguir parar. Italiano.) o garoto, até que ele matou o monstro. A demo acabou, ele devolveu o controle e fomos embora. Ele atrás da gente falando do jogo a volta INTEIRA pro curso e nós ali, andando e ignorando na esperança que o molecão parasse. Há!

Resumindo: O game é excelente, talvez não seja digno no bolso de um brasileiro estudante sofredor, mas é bom. O PS3, esse sim merece um lugarzinho na sua estante, apesar de todo o hype ruim que ele tá sofrendo.

Mas por hora é só, minha gente. Não posso falar muito mais do game pois joguei pouquíssimo. Deixou aquele gosto de quero mais – e assim também fez o PS3. Espero sinceramente que o console vingue, com isso a gente só vai ganhar!

Abração pra todo mundo, galera. 🙂


Jill Valentine nua dando manhas de Top Gear 3000

8 setembro 2007

Já fazia um tempo que eu não postava aqui os termos de busca que fizeram com que pobres desavisados chegassem no NC. Mas os últimos dias foram tão bizarros que eu precisava fazer isso. Vai, eu sei que vocês gostam.

carmen electra nua
carmen electra nua no def jam
carmen electra pelada
cena com carmen electra
carmem electra nua
Isso só hoje.

carmen electra nua
carmen electra pelada
carmen electra fotos
carmen electra (nua)
fotos nuas de Carmen Electra
fotos de carmen eletrica nua
E isso ontem. “Fotos nuas” e “carmen eletrica” valeram meu dia.

fotos sensuais de justin timberlake
procurar fotos justin timberlake sem roupa
Eu sei quem foi, mas não vou contar pra não queimar o filme do Gui.

gretchen fotos nua
FOTOS DO FILME DA GRETHEN
Mila Jovovich
JILL VALENTINE
fotos de maria d agraça nua
download de filme da jenna jameson
fotos cicarelli pelada
Quem vê diz que é site pornô. Com fotos da Bárbara Paz na Playboy de setembro, clique aqui. Não que alguém queira ver a Bárbara Paz pelada.

VERDADEIRO TAMAGOTCHI
Que verdadeiro o quê. Legal era o do Gugu, que eu nunca tive.

De quês são feitas as praias ?
Des areias.

deff jam manhas
dicas def jam ny
manhas do def jam para play 2
dicas para o def jam for ny para ps2
codigos def jam
macetes de def jam fight for new
def jam fighters for ny como dar ataques
def jam for fight ny (musicas)
Outro onipresente, mas perde pra Carmen Electra.

Dif Jan FIGHT For Ny Dicas
Se tem Carmem Elétrica, por que não Dif Jan FIGHT?

quero assisti brinquedo assassino 2 de graça
Eu quero um Xbox 360 de graça.

como faço os poderes do prince of persia
Controle serve pra…?

quanto custa roller rescue
Esse sabe o que é bom
Ou essa. Provavelmente essa.

Mortal conbate p/ game cube
Se é pra sacanear escreve “mortal combate”, pô!

qual é amanhã nível assassino do gta
Seis estrelas, fanho.

Peggle Versão Completa para download
Só pagando.

peggle versao completa para download
Tá bom, tá bom! Tem aqui.

cronologia jogo prince of persia
Prince of Persia, The Shadow and the Flame e Prince of Persia 3D são uma trilogia. Sands of Time, Warrior Within e The Two Thrones são outra, independente da primeira. Vou economizar piadinhas pra quando pedirem a cronologia de Zelda.

creia a casa dos the sims jogo para o pc
lugares onde tao os carros escondido
MATAR smith gigante
os cara mais rim do mundo
jogar com chefão zero no fliperama
macetes de mortal KOmbat 4 nua
Chupa-cabras captured in USA 2007
Da série “no lo entiendo, más despacito por favor?”

controle botão de especial do ps2
Fica do lado de dentro do DualShock, bem escondido. Tem que bater forte com o controle no chão pra dar o especial.

zelda majoras mask dublado
Sim, e o melhor é que o Link fala. Quem dubla é a mulher que fazia o Pikachu no Brasil.

2 rapida В fallout
Ok. 7 duplo hoje às F.

“Tempo””dinheiro”
É isso que dá aconselhar os caras a usar aspas pra procurar no Google.

correntes bling fotos
Yo.

manhas de prince of persia warrior white
Só sei uma: coloque WITHINCOMMANOOB como nome do profile.

come se zera faze por faze tony hawks
Kjashkdjahksjd eu não acredito!

como faz para jogar 7 sins?
Espere seus pais saírem de casa, depois dê dois cliques no atalho do desktop.

lipedal férias atrasadas
Uia, me senti importante agora 😀

controle nomes dos botões do ps2
Sinto cheiro de demissão de professora de jardim da infância.

espeta no coração mata morre
Provavelmente. Provavelmente…

como fazer para meter truques no the sim
Meter truques! Sutil como um elefante sambando.

COMO APANHAR MACACO GIGANTE PS2
ESCREVENDO COM CAPS LOCK PRA INTIMIDAR O MACACO

como detonar The legend of Zelda Twilight


Kratos negão, sangue bão

9 junho 2007

Enquanto o Gui não atualiza o NC devidamente, uma notíciazinha que talvez nem seja tão nova, mas eu só li com a devida atenção hoje. Junto vão uns links pra quem andava desinformado como eu.

Tudo bem que vão fazer filme de Gears of War e de Halo. Alguns aguardam ansiosamente por eles.

Beleza que Hitman, Metal Gear Solid e Splinter Cell vão pra telona. Se bobear até saem bons.

Ok que King of Fighters também quer ir pro cinema, junto com Soul Calibur, Tekken e novos Street Fighter e Mortal Kombat. A gente já sabe que provavelmente vai ser merda, então nem tem por que se preocupar.

O comédia-escrachada-dirigida-por-Uwe-Boll Postal também já saiu do incosciente coletivo, agora que tá pronto e tem trailer na internet.

E ainda falando em Uwe Boll, temos o novo Bloodrayne, com uma nova atriz, que se passará no Velho Oeste. Tem até previsão de um terceiro filme, com as duas versões de Rayne atuando juntas e declarações do diretor dizendo que gostaria de um “Bloodrayne vs. Bloodrayne”.

Ótimo que vai sair outro Resident Evil. Eu não vou assistir mesmo, apesar de que o mesmo diretor tá escrevendo, produzindo e dirigindo Castlevania, o que me preocupa.

Mas é impossível não abrir um sorriso triste e balançar a cabeça em sinal de incoformismo quando David Jaffe, o cara por trás de God of War, anuncia que gostaria de Djimon Hounsou no papel principal do filme.

Isso aí, Djimon. E Thiago Fragoso em Zumbi dos Palmares: O Filme.


Jeremy Jameson Flavia BBB7

13 março 2007

Enquanto Gui dorme seu sono de beleza se preparando pro post que eu o obriguei a escrever amanhã, vou enrolar um pouco mais aqui só pra não dizer que a gente não atualiza isso. Vocês gostaram das bizarrices procuradas no Google pra se chegar ao No Controle, então aí vai mais um pouco:

novo jogo em que o boneco troca de roupa e
Uma pena que o painel de controle do WordPress limita os termos a tamanhos aceitáveis, porque eu queria mesmo ver o resto dessa resenha.

jogos que voce fas um carinha e depois
Mesma coisa, queria saber o que acontece depois de faser o boneco.

fotos de carmem electra nua
Não poderia faltar a onipresente, salve-salve Carmen Electra.

fotos diversas só negão
Se eu contar que o IP é do Gui vocês juram que não sacaneiam ele?

peladas youtube fotos
Hahahhahahah, selfowned triplo. Procurou por FOTOS do YOUTUBE no GOOGLE.

manhas de todos os jogos de ps1
Aproveita, criatura. Quando tu tiver na faculdade tu mal vai ter tempo pra procurar manhas pra um único jogo.

PAPEI DE PAREDES BEM BOLADOS
Só faltou complementar: DA CARMEM ELEKTRA NUA RON JENNA

Pois é, a coisa tá tão bonita que eu tô salvando as melhores em um .txt aqui. De vez em quando eu posto as melhores da semana, quando não tiver mais nada pra escrever.

A propósito, seção nova por vir no NC: Previews. Antes de mais nada, foi idéia do Gui. Caso gostem, eu já tinha tido a idéia antes e não tinha falado. Como a gente tem tanto acesso quanto vocês às notícias do mundo gamer, não dá pra fazer aqueles previews fresquinhos e exclusivos que a gente vê por aí, o que não nos impede de criar nossa própria forma de presenhas.

Basicamente a gente vai fazer o seguinte: pegar um jogo que está pra ser lançado, ou até que já foi, e escrever nossas expectativas quanto a ele, dando as devidas informações catadas por aí como um bom preview faria. Tudo no bom ritmo NC de “eu passo longe de ser jornalista profissional então me deixa ser feliz”. Temos uma outra seção em mente também, mas ainda estamos discutindo isso. Ainda tem muita presenha e resenha pra escrever depois da minha última prova antes das férias (quarta-feira) 😀

tibia playstation 2 fotos
“Eu tava jogando Tibia no meu Playst… quê? Como assim que não tem Tibia pra PS2? Quer apostar quanto, seu cocô? Tiro uma foto agorinha mesmo!”