Filme de jogo é pior. E tenho dito.

Essa é uma das partes boas de um blog feito a dois: as opiniões dos mantenedores do site não são necessariamente convergentes. É o caso da velha e polêmica relação filme/game. Enquanto Gui acha que os produtores de jogos baseados em sucessos da tela grande deviam se limitar a assistí-los, eu penso que grandes nomes como Uwe Boll e Paul Anderson deviam nunca ter sido registrados.

Eu gostaria de enfatizar que essa é a minha opinião, e mesmo que o objetivo do texto seja fazer vocês a terem como certa, vocês não devem levar na ponta da faca o que eu escrevo aqui. A-MOU o Van Damme encarnando Guile, o personagem principal do filme de Street Fighter? Ótimo. Você deve sofrer menos do que eu com essas adaptações. Por outro lado, odiou chacinar dinossauros nada a ver em Peter Jackson’s King Kong: The Official Game of the Movie (abreviarei como PJ’sKK:TOGotM para facilitar a leitura)? Ah, eu achei o jogo bem interessante.

Então, agora que o Gui os leitores estão avisados e eu estou me sentindo um pouco mais seguro, posso começar. Com uns exemplos, que tal?

Street Fighter
Street Fighter

– Pô, tem aquele jogo de briga que a gurizada tá jogando nos bares por aí.
– Street Fighter?
– Esse. Diz que tem uns esquema legais, uns fogos e tal.
– Nem pensar. Quem larga os fogos e raios são uns amarelos doentes.
– É, não rola… hmm… não tem ninguém normal?
– Ah, tem um cara do exército americano. Acho que dá uns chutes.
– Exército americano?
– Sim.
– Perfeito. Assistente, arranja o número do Van Damme.

Ou algo assim. No fim saiu um filme sem os hadouken, shoriuken e o caralho a quatro. No máximo versões simplificadas dos golpes, porque o público não queria ver bolas de fogo saindo dos lutadores de rua.

Resident Evil
Resident Evil

Eu vou ser bonzinho e nem vou citar o subtítulo altamente sagaz do lançamento brasileiro: “O Hóspede Maldito”.

Mila Jovovich acorda sem saber onde está, um esquadrão policial chega dando armas pra ela e eles saem procurando alguma coisa no lugar. Eles descobrem de um modo bem trash que há zumbis lá embaixo e mais tarde que a cidade inteira foi infectada. De um modo bem Cubo original, os caras vão morrendo um por um até sobrar só a heroína e um cara que ganhou um negócião no ombro, sugerindo que aquele vai virar o Nemesis. Sugerindo também que o segundo filme poderia não ser tão ruim quanto o primeiro, e que dessa vez elementos do jogo estariam presentes. Sensacional.

Aí no segundo colocaram uma mulher vestida de Jill Valentine e fizeram um Nemesis Power Rangers-like. Mas eu não assisti esse, então não posso falar muito.

BloodRayne
BloodRayne

Nesse caso eu só li o review da EGM do game e uns tempos depois vi o filme. E os dois não tinham NADA A VER, diga-se de passagem.

BloodRayne, o jogo, tem um enredo doido envolvendo vampiros e nazistas, vampiros nazistas, vampiros anti-nazistas e muito sangue, lá por 1930 e pouco. BloodRayne, o filme, tem um enredo clichê doido envolvendo vampiros e caçadores de vampiros, vampiros medievais, vampiros anti-caçadores de vampiros e anti-pai da vampira que dá nome ao game e muito sangue, lá por 1700.

Minha teoria é de que Uwe Boll comprou o jogo em algum camelô e o DVD tava riscadaço, sobrando só a capa. Então fizeram o filme baseado na capa. Lá pela metade das filmagens alguém pediu o PS2 emprestado pra um primo e jogou BloodRayne.

– Diretor, diretor, tenho uma má notícia.
– Oi?
– Assim ó: BloodRayne é na verdade um jogo envolvendo nazistas e Segunda Guerra Mundial.
– Tipo Medalha de Honra? Vamos ter que refilmar tudo?
– Não, nada a ver. Sangreira, quebradeira e tal, mas em tempos mais atuais.
– Hmm, deixe-me pensar… ei, Kristanna, você toparia fazer uma cena de sexo aí nesse ponto do filme?

Que por sinal é só o que se salva.

Super Mario Bros.
Super Mario Bros.

Esse é um divisor de águas. Pessoalmente, amei o filme no alto de meus 5 ou 6 anos. Depois o amei de novo com 10 anos. Com 13 achei bem legal. E, conforme ia ficando mais velho, ia me ligando de que aquilo era Mario, e não um filme de aventura qualquer sobre monstros gosmentos e encanadores salvadores da pátria. ERA MARIO!

Mas só coloquei aqui pra citar mesmo. Do meu ponto de vista, é como Final Fantasy: The Spirits Within. Um bom filme, se não carregasse o nome da franquia junto. Seria muito melhor apreciado se fosse “Captain Red in Marshmellow Kingdom”. Mas muito menos visto.

Bom, há mais filmes a serem citados, mas são quase duas horas e eu tenho aula amanhã/hoje. Tem Tomb Raider, que você assistiu mas nem lembra de nada porque ficou só olhando pras coxas da Angelina Jolie; tem Alone in the Dark, que eu não vi mas é do Uwe Boll, o que dispensa apresentações; Mortal Kombat, que eu vi há tanto tempo que nem lembro como era (se você lembra comenta aí sobre como era o filme); House of the Dead, do Uwe Boll; Doom, que eu pretendo assistir nessas férias só pra presenciar a trashzeira das cenas em primeira pessoa; e por aí vai.

Claro que há filmes bons, assim como havia jogos bons no post do Gui. Como exemplos que contrariam o post dele, gosto de PJ’sKK:TOGotM, de Enter the Matrix, de GoldenEye 007 e de The Godfather, entre outros.

E na lista de filmes que deram certo, temos Final Fantasy VII: Advent Children, continuação muito legal do jogo de PS1, e Silent Hill, adaptação muito legal do jogo de PS1. No momento não consigo lembrar de mais algum filme baseado em jogo que eu gostei. Creio que Silent Hill foi o melhor que já vi, então FFVII:AC e depois não sei.

Mas, no fim das contas, creio que esse post inteiro era um desabafo pra mostrar o quão temeroso eu estou por causa dessa lista. Entre os filmes a serem lançados, ou não, estão:

Castlevania (2007). Tenho medo de um Van Helsing da vida pra detonar a série.
Devil May Cry (2008). Nunca joguei. Talvez o filme não fique muito ruim. Em efeitos especiais esses caras são bons.
God of War (2007). Também nunca joguei, mas sinto que vão conseguir estragar.
Halo (2008) e Gears of War. Esses vão sair bem, creio eu. Só porque eu nem gosto dos jogos.
Max Payne (2007). Pô, só se for com a dublagem delícia em português!
Metal Gear Solid (2008). Putz. Só imagino o Tom Cruise jogando revista de mulher pelada no chão pra distrair os soldados. Ao menos Kojima já descartou o Uwe Boll.
Street Fighter (2008). Mas quê? Mais um? Quem vai ser o personagem principal dessa vez? Algum irmão sumido e loirinho do Guile, que vai aparecer do além pra salvar todas as raças inferiores das mãos do M. Bison?

E meu maior medo, mais do que Cálculo e dos exames da semana que vem:

Prince of Persia: The Sands of Time (2008). Pela Disney. Se conseguirem fazer algo no nível do primeiro Piratas do Caribe, meio swashbuckling, com a mesma história do jogo, as mesmas acrobacias e atores IGUAIS ao Prince e à Farah, ficarei mais calmo. Mas ainda apreensivo.

Entrem aqui e vejam a lista de escalados para interpretar o protagonista. Particularmente gostei desse. O cara é produtor de filmes, ator, persa, é PRÍNCIPE, e estudou esgrima. Além de que tem todo um trejeito oriental que esse infeliz não vai ter nem daqui a três encarnações.

Ao contrário de Brad Pitt como Link, e Avril Lavigne ou alguma outra cantora como Zelda. Junte a isso umas roupinhas verdes, uma maquiagem para deixar o ator com cara de garoto kokiri de 17 anos, grandes diálogos entre Link e seus algozes e pronto, temos The Legend of Zelda: The Official Movie of the Game.

E mais uma legião de fãs querendo saber o endereço do responsável pra mandar antraz ou semelhante.

14 respostas para Filme de jogo é pior. E tenho dito.

  1. Duriel/Quoteriel disse:

    Hahaha, o “Hóspede Maldito” é muito broxante.

    E PORRA PEDAL, O LINK NÃO É KOKIRI, seu bobo feio cabeça de mamão, ele é Hyilian😦

  2. Shogo disse:

    há filmes que são fodas, mesmo baseados em jogo.
    pfv, mortal kombat o filme FTW

  3. Gui Stadler disse:

    De fato eu também curti MK The Movie😦
    Lipe, continuo achando game de filme pior, pelo menos eles escolhem minuciosamente quais games terão filme.

  4. Guelerme disse:

    Bom, desses filmes aí, só boto a mão no fogo pelo futuro MGS. E olhe lá. É que o roteiro tá basicamente pronto, independentemente da versão do MGS escolhida, e dá pra garantir umas cenas de ação bem legais…E já não tem Uwe Boll. Falta só descartar Paul Anderson.

    Devil May Cry vai ser HILÁRIO. O jogo não tem exatamente uma boa história, mas vai ter milhares de cenas de luta com triplo twist carpados -> Rebellion -> Slash x2 -> Million Stab -> Dance Macabre e coisas do tipo. E quem seria o Dante?

    E GoW vai ser uma putaria desgraçada. Ou seja, mesmo que o filme venha ruim, será um clássico trash.

  5. Gui Stadler disse:

    Cara, do jeito que o mundo tá hoje em dia, não me surpreenderia se o Dante fosse o George Clooney.

  6. Marvbr ( FHBD ) disse:

    se não tiver alguem falando ” É o MAX , ACERTEM O CRETINO!!!” no filme do max payne , eu nem assisto.

  7. Gui Stadler disse:

    Afalfkalaflaflkafklfkla eu vou RIR na cena que ele entrar na mansão do primeiro boss e ouvir ele falando nome de milhões e milhões de capirotos. Vai ser no mínimo hilário.

  8. Lipedal disse:

    “Lipe, continuo achando game de filme pior, pelo menos eles escolhem minuciosamente quais games terão filme…”

    …e os fodem com força, cabe acrescentar.

  9. Chococat disse:

    Meow Doom, meow meow The Rock. (“Eu assisti Doom, só por causa do The Rock.”)

  10. Down ALL disse:

    Aaaaa eu nem sabia que ia ter tantos filmes baseados em jogos pela frente !!!
    Pra falar a verdade eu gosto de filmes baseados em jogos, pelomenos o que tem uma boa historia, resident evil é um dos filme que se você nunca jogou o resident evil , 1 2 3 ou pelomenos não tem uma base da história, você vai achar o filme sem pé nem cabeça !!!
    To ancioso pelo – Castlevania (2007). Tenho medo de um Van Helsing da vida pra detonar a série. – UAHUAUu só pode, eu jogava esse jogo quando eu era novinho no N64 !!!

    E também pelo Halo, com os efeitos especiais que existem Hoje, o filme vai ser muito show, até TRANSFORMERS que foi baseado num desenho imbecil, com os efeitos especiais ficou um ótimo filme !!! imagine Halo…

  11. Jake Jason disse:

    Só discordo de Alone in the Dark e Silent Hill, falharam em serem adaptações bem trabalhadas, sobre Alone in the Dark, o filme simplesmente fugiu de toda a estória e idéia do jogo criando um típico ação e sexo, pois a estória do jogo focava em relação ao horror e solidão dos personagens, sem contar que Corbe (me esqueci como se escreve) se considera inimigo do mal, coisa que nem foi apresentada de forma séria no filme, enquanto que Aline ela tem um passado bem misterioso e brutal, ao qual o filme simplesmente nem desenvolve, e a origem dos monstros no filme é totalmente sem relação ao jogo, acredito que as únicas coisas que prestaram no filme só foram os atores serem parecidos com os personagens, outro fator que faltou no filme foi o mistério.

    Agora sobre Silent Hill, para quem nunca jogou ou entendeu a estória do jogo o filme é bom, mas para quem viu e entendeu a estória do jogo o filme é fraco, primeiro pois o motivo da busca pela filha foi o amor de mãe, que é muito clichê, já que no jogo o motivo de Harry Mason buscar Cheryl é sobre ela ser a única coisa que o mantém existindo, já que havia perdido a esposa e para ele a filha era sua obstinação, quer dizer a ligação de ainda ter sua familia ou quualquer coisa que pensem, quer dizer o fator do jogos é bem mais psicológico e psicótico que o fator do filme, o dar lucidamente a idéia de loucura que o jogo queria trazer, a idéia que Samael é bonzinho também foi brutal, no jogo Samael e Alessa são quese que uma só pessoa, contudo Samael é um demônio que se aproveita dos pesadelos de Alessa para criar seu dominio e brincar com os protagonisca (coisas estas explicadas em Silent Hill 2), enquanto que os mesmos buscavam adquirir a deusa para possuirem poder, a mãe de Alessa nunca boazinha como mostra o filme, sem contar também que aquela morte de Cybil também foi brutal, umas das personagens mais importantes do jogo que ainda dava idéia de lucidez a Harry morrer daquela forma sem nenhum sentido (apenas o fator de ódio daquelas pessoas?), no jogo isso é bem melhor explicado quando ela está sendo controlada, de forma que se Harry tiver o sangue a salva, ou então a condena, Mais um fator é o cenário, que no filme é muito simples, enquanto que no jogo é realmente assustador, principalmente o parque que ao invéz de chão existe uma grade e tudo escuro, outra também é Lisa, que simplesmente deram uma pincelada na personagem enquanto que no jogo ela realmente é mais aprofundada e assustadora na última cena em que ela começa a sangrar e tentando abraçar Harry (tudo isso andando da forma mais zumbi possível), sinceramente esse filme é que nem V de Vingança, se nunca viu o Comix então vai achar a perfeição, mas quem viu, verá como o filme é fraco em termo de estória.

  12. eduardo disse:

    o filme mortal kombat tem so aver com ojogo do1,agora o2 foi otimo ,devia passar na tv,assista,voçe nao vai se arrepender

  13. só o que salva é silent hill e resident….mais porra nenhuma

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: